Faq Perguntas mais frequentes

1. O que é Deficiência Mental ou Intelectual?
R. Segundo a descrição do DSM. IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais) entende-se por Deficiência Intelectual ou Mental o indivíduo que apresenta um “funcionamento intelectual significativamente inferior à média, acompanhado de limitações significativas no funcionamento adaptativo em pelo menos duas das seguintes áreas de habilidades: comunicação, auto-cuidados, vida doméstica, habilidades sociais, relacionamento interpessoal, uso de recursos comunitários, auto-suficiência, habilidades acadêmicas, trabalho, lazer, saúde e segurança”.

2. O que é Moradia (ou Residência) Assistida para pessoas com Deficiência Intelectual ou Mental?
R. Moradia Assistida para Pessoas com Deficiência Intelectual é uma casa, um lugar de convivência, onde as pessoas que ali habitam têm a oportunidade de viver em comunidade, assistidas por uma equipe preparada e amparada por um corpo técnico, que lhes dêem auxílio e subsídios para que desenvolvam atividades que lhes dêem prazer, e desta forma possam conquistar certa autonomia, de acordo com suas necessidades e limitações individuais. Não é um hospital, clínica de internação ou de tratamento, nem mesmo uma escola. Um projeto de moradia assistida consiste fundamentalmente por ser um local para Jovens e Adultos, onde a qualidade de vida e bem estar pessoal sejam a prioridade.

3. O que motiva as famílias a colocarem seus parentes numa Moradia Assistida?
R. São vários os motivos que levam os familiares a optarem por um sistema de moradia. Um dos principais é a preocupação com o futuro. Muitas famílias passam alguns anos com a angústia de se perguntarem “E quando eu morrer, quem cuidará do meu filho?”. Uma Moradia Assistida, como a Associação de Convivência Novo Tempo, deve ter sua estrutura filosófica pautada na perenidade e continuidade do projeto, garantindo que o morador (residente) tenha sua vaga e seus cuidados preservados vitaliciamente. Outro fator importante de escolha é a diversidade de atividades que uma residência oferece aos seus moradores. Muitas vezes, na casa de seus familiares, as dificuldades como encontrar funcionários aptos para os cuidados, a correria da vida moderna, entre outros, impedem que o indivíduo tenha uma vida de qualidade, muitas vezes ficando restrito a um espaço pequeno, sem rotinas, prejudicando assim sua saúde física e mental.

4. Mas, deixando seu parente em uma moradia, a família não estaria “abandonando”?
R. Vamos pensar no seguinte: toda a pessoa dita “normal”, com certa idade, passa a viver longe do seu núcleo familiar, seja porque vai estudar fora de casa, casar, passar uma temporada fora do país, entre outros, mas não deixam de ter o contato com seus familiares. Raciocinando desta maneira, porque as pessoas com deficiência não podem ter a mesma oportunidade? O jovem e o adulto deficientes intelectuais, quando vivem em uma moradia, também desenvolvem capacidades que lhes permitam “existir” ALÉM do seu núcleo familiar, mas não ISENTOS da convivência familiar. Em um sistema de moradia não há horários de visitas preestabelecidos. É, na verdade, a casa do seu filho ou parente, portanto a presença e a participação das famílias serão sempre bem vindas. Portanto, não é abandono, e sim uma alternativa de oferecer ao indivíduo uma vida de relacionamentos, integração social e bem estar.

5. Qual o diferencial da Associação de Convivência Novo Tempo?
R. Nossa entidade é uma Associação de pais. Foi criada, fundada e é administrada por pais de pessoas que são moradores daqui. Desta forma, está implícita a necessidade e o comprometimento da busca e manutenção constante da qualidade de nosso trabalho. Além disso, a Novo Tempo trabalha pautada numa visão individualizada, priorizando acima de tudo as características pessoais de cada um de nossos residentes. Nosso objetivo é oferecer aos nossos moradores um olhar holístico, ou seja, um olhar que transgrida o diagnóstico de deficiência e que considere a essência e as potencialidades desse indivíduo.